sexta-feira, fevereiro 29, 2008

Amor: influenciado por Rogério Sganzerla*

Ouvi aquela sinfonia brilhante.
Conheci aquele sentimento dos loucos.

Aprendi a fazer das nossas cenas
pla-nos se-qüên-cias bem lon-gos:
compassos de luz e sombra.

E numa dessas percepções da freqüência
entendi aquilo que sempre diziam
sobre o anti-fazer das coisas.

Tão além quando se vê
as luzinhas brilhantes.
Ora calmantes,
ora extravagantes.

Dá pra entender agora
porque sentimos essas vibrações:
porque o sentimento
dos loucos.


*pra quem não conhece, o Sganzerla, Rogério Sganzerla, é um cineasta brasileiro. Eu li um livro repleto de entrevistas interessantes dadas por ele. Pra quem não tinha informações sobre cinema brasileiro, ao menos agora eu tenho uma pontinha de iniciação no assunto. Posso discutir um pouquinho, dizer que não sou tão por fora assim. Acho que, na verdade, só quem conhece um pouco do Sganzerla pode entender mais claramente esse poema. ou quem leu o livro! =)

7 comentários:

Glauber disse...

Nollo comentare!

Phillip disse...

Esse é aquele livro da longa história? Aquele q veio de Portugal?
Essa saga merece uma história!!

Bjão, Gabi!

Bai Ling disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bai Ling disse...

Ah...pasalix é fitoterápico. =)
Não tomo remédios que não sejam se não for em emergências. E remédios pra insônia que não sejam fitoterápicos são tipo anti-depressivos: to fora.

A insônia me acompanha desde que tenho uns 12 anos...eu já fiz de tudo. Música só me ajuda a dormir em épocas não-insones...com a insônia, ouvindo música, fico com vontade de estudar, cantar, tocar e etc. Aí me dá mais ansiedade...é coisa da cabeça. Preciso realmente voltar a fazer e ouvir mantras, era a única coisa que no auge das noites em claro me fazia dormir. É coisa da cabeça, não do corpo. Se eu colocar música erudita, nessas épocas de ansiedade, putz - eu começo a identificar os intervalos, a pensar como seria escrita no pentagrama, nas cadências, na tonalidade e aí pensaria em estilos e fodeu.
Se não to cheia de loucuras na cabeça eu não penso nas coisas técnicas. Mas na ansiedade, viiiurge. Ultimamente tô mais noiada com essa coisa de me mudar...! E aí fico pensando no quanto preciso estudar e melhorar até lá. Aí já viu...

Huahuahau enfim...
Vamos lá sexta ou sábado no restaurante, vai!
Vamos fingir que somos chiques.
=P
Saudades, poxa
Beijão

Glauber disse...

mallo comentare, sed nollo comentare nunc!

Bai Ling disse...

Calma, haverá Itu! =)
E lá você mata tanta saudade...até porque não ando nem um pouco com vontade de ficar em grupos e atividades grupais-jovens estilo beber, gritar, rir e tal.
(rir, credo, hahahaha parece que sou mó amargurada...)
Enfim
Dá pra estreitar esses laços tão afrouxados ultimamente, não?
(ah, e aí se você quiser estudar...tô estudando que nem louca, e lá não será diferente. Dane-se que todos terão que me ouvir, hahaha, pelo menos é Mozart, né?)

Beijocas

designer pens box disse...

no photo!